Menu

27 de jun de 2017



Vou me pendurar no lustre, no lustre
Vou viver como se não houvesse amanhã (Sia – Chandelier)

Você já olhou para o céu numa noite escura e sem nuvens e se sentiu tão pequenino quanto um grão de areia? Não? Deveria. Desde guri sou fascinado pelos céus. Aprendi que era lá onde Deus movimentava e observava toda essa loucura toda aqui em baixo. Também ficava imaginando se haveria, por essa imensidão espacial, outro moleque observando os céus como eu, adoraria conhecê-lo. 

Acredito que olhar o céu e se reconhecer como uma pequena parte de um todo, até então conhecido como infinito, é o maior ato de humildade e de humanidade que um ser humano pode fazer. Isso independe de crenças religiosas ou de rituais. É voltar às origens, voltar bilhões e bilhões de anos-luz até o Big-bang e simplesmente explodir e expandir. É expandir a mente ao infinito e saber que o céu não é o limite. 




Saber que assim como as estrelas, todos aqui em baixo seguimos nossas órbitas (regulares ou não). Somos como constelações, estrelas que se observadas isoladamente não fazem muito sentido, mas em conjunto com outras, ainda que distantes, constituem formas, desenhos e significados. Olhar o céu me faz lembrar que precisamos um do outro para fazer sentido, que não somos o centro de nada, que há uma força maior nos guiando (divina ou meramente social, não sei). Olhar a imensidão do universo não me faz sentir pequeno, muito pelo contrário, me sinto especial. Isso me faz sentir único! Um cara extremamente sortudo por fazer parte de algo tão grandioso como a vida.


07 de julho de 2015 – 19 de outubro de 2015 
2

22 de jun de 2017



O meu blog Cara do Espelho foi indicado ao " Versatile Blogger Award" pelo Nilton Alves, do blog Eu, meus livros e você. Que legal ver que o meu trabalho está sendo reconhecido.

E para quem não sabe o que é o Versatile Blogger Award, se trata de uma iniciativa para que blogueiros destaquem o trabalho de outros blogueiros, tipo uma troca sabe? Para incentivar ainda mais os blogueiros a criarem conteúdos com muita qualidade e se manterem ativos – isso é quase que um desafio.

De acordo com o VBA, assim que você recebe a indicação, tem que cumprir algumas regrinhas. São elas:

Agradecer à pessoa que lhe concedeu o prêmio:
Muito obrigado, Nilton Alves, por indicar o Cara do Espelho para o VBA. Forte abraço!

Mencionar o blog da pessoa que lhe concedeu o prêmio: 
http://eumeuslivrosevoce.blogspot.com.br 

Selecionar 15 blogs para também receberem o prêmio: 

1. Apenas Fugindo - http://www.apenasfugindo.com/
2. Só sei que vou - http://soseiquevou.blogspot.com.br/
3. Insistivo - http://insistivo.com/ 
4. Blog Que seja leve - http://quesejaleve.com.br/ 
5. Soldado da paz - http://www.soldadodapaz.com.br/ 
6. Seja amável - http://sejaamavel.blogspot.com.br/ 
7. Sinto logo poetizo - https://www.textie.com.br/autor/587d030bb6cbe60400af72df/public?tab=public 
8. Cartel da Poesia - http://www.carteldapoesia.com.br/ 
9. Lírios ao mar - http://liriosaomar.blogspot.com.br/ 
10. Um oceano de histórias - http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/ 
11. Lendo 1 bom livro - http://www.lendo1bomlivro.com.br/ 
12. Inspirando Sonhos - https://www.inspirandosonhos.org/ 
13. Paris só de ida -  http://www.parissodeida.com.br/
14. Meusegredos Bell - http://meusegredosbell.blogspot.com.br/
15. No mundo dos livros - http://www.nomundodoslivros.com 

Contar à pessoa que me indicou, sete coisas sobre mim:

1- Sou muito fã de Michael Jackson
2- Sempre escrevo ouvindo alguma música para criar uma atmosfera criativa.
3- Escrevo desde 2009.
4- Comecei a cursar jornalismo por amar a escrita e, agora, no fim do curso, penso em largar o jornalismo por amar a escrita.
5- Sou viciado em pizza.
6- Também sou viciado em café.
7- Tenho uma pasta com um monte de textos inacabados. 



Gostou? Então comente com seu Facebook abaixo e compartilhe com seus amigos. 😉
0

20 de jun de 2017


A noite se prolonga e eu não posso dormir
Sinto minha alma em chamas
Enquanto o silêncio grita comigo
Eu sei que ela está chegando
O vento bate minha janela
Os relâmpagos invadem meu quarto
Ouço o som dos trovões, ela me chama
E vou ao seu encontro

Chuva, chova dentro da minha alma
Chuva, eu também sou tempestade
Chuva, agora eu faço parte de você
Chuva, talvez só você me entenda

Agora chove em mim 
Os pudores escorrem pelo chão
Entregue de corpo e alma
Chuva doce e fresca
Que me acaricia
Que me agride
Como mentiras e verdades
Limpando a visão
Sob os flashes elétricos
Sob o canto dos céus 

Chuva, lave a lama de mim
Dê-me outra oportunidade
Deixe-me transbordar
Chuva, lave minha alma
Leve aquilo que não posso carregar
Lave-me da religião, do pecado

Doce e implacável chuva, eu imploro
Leve minhas angústias
Lave minhas mágoas
Desmanche minhas máscaras
Doce e implacável chuva
Lave minha saudade
Lave o que não se desfez
Lave-me dos meus excessos

Chuva, há um incêndio em meu peito 
Chuva, me liberte
Chuva, me abrace
Chuva, não me deixe deserto
Chuva, por Deus! 
Eu imploro! Purifique-me!
Permita ao meu coração florescer
Chuva, lave minha alma


Diogo Souza,
22 de outubro de 2015
0

13 de jun de 2017



Finalmente o reencontro, estou frente a frente com uma página em branco e, depois de tanto tempo sem nenhuma novidade, descubro que nada está como antes. 

Passamos a vida buscando estabilidade em todos os aspectos possíveis e vamos construindo nossos castelos, fazendo o possível para manter tudo do jeito que está. Mas as coisas não são tão simples, o tempo passa e a zona de conforto começa a ficar desconfortável, cada vez mais apertada. Sufocante.

Como pode aquilo que construímos com tanto trabalho para nos deixar em paz e seguros nos causar dano? Somos humanos, seguimos uma longa e incessante jornada, sempre em movimento. Desde o nascimento até a morte. Precisamos nos movimentar, seguir o fluxo da vida. Então, mesmo que quiséssemos, não conseguiríamos ficar da mesma forma e no mesmo lugar. Nossos pensamentos mudam, assim como a nossa pele enruga com o passar dos anos.

Eu mesmo passei por um longo processo de mudança interior há alguns anos, enfrentei muitas crises internas e custei a compreender o que se passava comigo. Saí fortalecido e mudado desse processo e isso foi ótimo. Mas acabei achando que eu era somente o que me tornei depois de passar daquela fase e esse foi o meu erro, pois eu sou muito mais do que aquilo, tanto em coisas boas quanto em ruins.

De certa forma, criei um novo personagem para mim e acreditei nele. Muito mais do que a ser, me obriguei a sempre aparentar ser forte. Então vendi uma imagem minha que, embora não fosse totalmente falsa, não era a única faceta. Então, quando os momentos de fraqueza e instabilidade chegavam, acabava me esforçando para ignorá-los ou atacá-los com a força que eu não tinha.

Esse é o perigo de não querer mudar, você aceita uma forma de ser e agir e se priva de ser você mesmo em sua totalidade. Sei, é confuso, mas é exatamente assim que estou: confuso. E, acredite, isso não é ruim, pois me acostumei a estar sempre no controle e, como isso não é possível 100% do tempo, sofro com ansiedade e estresse.  Então, considero uma vitória agora aceitar o fato de que eu não posso estar bem a todo o tempo.




É tempo de sair do personagem, esticar os braços e as pernas e tirar o peso das costas. Olhar a si mesmo e se reconhecer sem máscaras, aceitar a força e a fraqueza e saber que são essas duas medidas que te fazem ser quem é.

Diogo Souza, 
04 de janeiro de 2017, às 19h:29


Gostou? Então comente com seu Facebook abaixo e compartilhe com seus amigos. 😉
0

8 de jun de 2017



Quem dera se a vida fosse tranquila, estável e previsível. Quem dera se nossos planos e sonhos se realizassem facilmente. A vida seria maravilhosa, não é? Mas, se quiser mesmo saber, acho que ela não seria assim tão perfeita. E digo isso sem medo de parecer o louco da autoajuda, pois que graça teria se tudo fosse simples e fácil? Com tudo dando certo, o que faríamos de novo para melhorar as coisas? Ficaríamos bem confortáveis e aconchegados em nossas rotinas perfeitas e tudo se resumiria a uma tediosa existência.

Então, desse ponto de vista, toda a instabilidade que a vida nos lança é uma coisa positiva, pois nos estimula a dar um passo adiante – ou para trás – e, desta forma, não ficarmos estagnados. O problema é que, quase sempre, as adversidades não vêm sozinhas e as coisas podem sair do controle, o que também é natural. É um processo intenso de resistência e persistência. 

Como não somos de ferro, mais cedo ou mais tarde, chega aquele momento em que cansamos. Exaustos, nos jogamos no sofá sem entender o porquê das coisas nem imaginar uma saída. Fraquejamos, é verdade, pois são tantas as pancadas e quedas – sem esquecer da ansiedade, do medo e da tristeza. Tudo girando caoticamente, como um furacão no meio da madrugada.

É preciso lembrar que, quanto mais escura a noite, mais próximo está o nascer do Sol. Tempestades passam. Nuvens se dissipam. É por isso que não podemos deixar o desespero nos dominar e o medo nos paralisar. A vida pode não estar sendo fácil e tudo estar fora de controle, mas não é fim do mundo.

É você quem decide se o caos será aquilo que te destruirá ou será a grande oportunidade para se reinventar, superar e crescer. Os sonhos são possíveis quando acreditamos e lutamos por eles. Em breve, toda a escuridão se dissipará e você superará essa longa madrugada e reencontrará a luz. Nesse momento, vai perceber que toda essa louca jornada valeu a pena.


Diogo Souza, 31 de maio de 2017

0

Autor

autorEstudante de jornalismo, escritor preguiçoso, poeta fracassado, ligeiramente otimista, irritantemente risonho e comicamente irritado.
Leia mais →



Home Ads

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *