Menu

24 de dez de 2016




Mais um natal chegou e, com ele, toda aquela tradicional enxurrada de desejos de felicidade, paz e união. A melosidade dessa época do ano nunca me contagiou, pelo contrário, ela sempre me deixa desconfiado e irritado, pois sinto que quando há excesso de demonstração de sentimento, há também hipocrisia.

O natal se tornou uma data comercial e uma fachada, praticamente um pretexto. As pessoas passam o ano inteiro correndo e competindo entre si para alcançar suas ambições e algumas não hesitam em passar por cima das outras. Há ainda quem se dedique a espalhar o ódio e causar intrigas. Mas, no Natal, lembram-se de Jesus e do que ele disse e está tudo bem. 

Meus natais não são tradicionais, mas sim, um momento essencialmente familiar, restrito. São momentos sem pompa, sem alardes, sem grandes presentes e sem grandes artifícios. Mas são grandes encontros com risos e votos sinceros de felicidade. É sempre uma hora de parar um pouco para matar a saudade, avaliar o que se passou durante o ano e, claro, renovar a espiritualidade.

Não sou perfeito, não quero e nem posso, dizer como deve ser o Natal por aí, mas gosto de refletir sobre os momentos da vida e extrair um aprendizado de cada situação. E essa época é perfeita para isso, para aprender sobre si mesmo e sobre aqueles à sua volta.

Aproveite o Natal para tornar-se melhor!
Faça uma mudança
Seja a mudança!

Cara do Espelho - Diogo Souza
0

14 de dez de 2016




Por muito tempo andei sozinho 
Por entre caminhos estranhos
O medo cegava meus olhos
Mas era como eu queria estar
Até que o Sol nasceu e te vi ali
Nunca imaginei que gostaria de gostar de alguém de novo
Eu não tive mais medo
Eu não sei se você sabe o quanto gosto de gostar de você
Eu não sei se já disse isso vezes suficientes
Eu não sei se você sabe o aperto que sinto se você se vai
Eu não sei se meus sinais são claros o bastante
Mas eu gosto tanto de gostar de você
Eu amo amar desse jeito
Mesmo sem jeito
Gosto do gosto de poesia da sua boca
Amo seu toque, amo sua essência
Amo o que vem da alma
Eu amo amar você
Como jamais imaginei que amaria
Eu amo amar você


Diogo Souza, 22 de outubro de 2016, às 20:34

0

Autor

autorEstudante de jornalismo, escritor preguiçoso, poeta fracassado, ligeiramente otimista, irritantemente risonho e comicamente irritado.
Leia mais →



Home Ads

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *