15 de fevereiro de 2016

Garota Livre | Poesia | Cara do Espelho

Carnaval passou e 2016 tá começando não é mesmo?
O texto de hoje é um singelo poema escrito em junho de 2015 e dedicado a duas queridas amigas que sempre estão me ensinado algo novo.
A foto da Michele Nola, amiga e parceira do Cara do Espelho que cedeu a imagem gentilmente para este blog sofrido.


Dedicado à Juliane Barbosa e Michele Nola

Ela tem uma visão de mundo extraordinária
Aprendeu a ser livre, mesmo quando sua família
A prendia em correntes pesadas e enferrujadas.
Ela nunca acreditou que seria como sua irmã mais velha
Pois sempre quis ser ela mesma,
Nada mais, nada menos
Mas ainda precisava descobrir quem era

Enquanto as meninas sonhavam com o príncipe
Ela sonhava ser a dona do próprio destino
Enquanto as garotas falavam sem parar
Ela ouvia um velho rock ‘n’ roll
Olhando para o horizonte com a forte certeza
De que nada poderia parar seus sonhos
Ela sonhava ser a dona do próprio destino
“Mãe, eu sou livre”

Tudo o que ela queria era ser livre
Então ela se libertou
Não há nada que possa segurar
Um coração livre
Que quer voar enquanto existir horizontes
Sua mãe uma hora vai ter que entender
Que ela nasceu pra ser uma garota livre
Nada mais, nada menos do que ela mesma
Uma garota livre.

Ela vai longe porque não se prende a nada
O que move sua vida é a sede de viver
Então será mais uma dessas que você verá
E se perguntará: “pra onde vai aquela garota?
Quem é aquela garota?”
Então alguém vai dizer
Aquela é a garota livre

Diogo Souza,
08 de junho de 2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poesias no Espelho

Postagem em destaque

A grandiosidade de se sentir pequeno | Crônica | Cara do Espelho

Vou me pendurar no lustre, no lustre Vou viver como se não houvesse amanhã (Sia – Chandelier) Você já olhou para o céu numa...